Total de visualizações de página

19 julho, 2009

PARE OLHE SINTA !

RESPOSTA À MISÉRIA
SEMPRE PROCUREI
FUI À MUITAS FONTES
EM NENHUMA ENCONTREI

estribilho
PARE,OLHE,SINTA
AINDA DÁ PARA VIVER
POUPE A SUA VIDA
AME PRÁ VALER

PENSEI NOS GOVERNOS
PENSEI NAS RELIGIÕES
PENSEI EM MUITAS COISAS
QUE PUDESSEM SER RAZÕES

ANDANDO PELA RUA
COM UM POBRE DEPAREI
NEGANDO-LHE ESMOLA
A RESPOSTA AÍ ACHEI

JULIO SÉRGIO CORREA PITTHAN
*20 DE JULHO DE 1955
18 DE JULHO DE 2009 +

OBRIGADO POR TUDO PAI!

http://www.youtube.com/watch?v=E48hZjOSTKg

16 julho, 2009

Encontros e desencontros de brincadeiras. O Brunão diz que isso dá roteiro prá um curta-metragem.

Quinta-feira, 16 de Julho, 2009

a:
porra juleide 16:24
não sabia que tu era capaz disso 16:24
o que eu vi agora na internet me deixou muito, mas muito, decepcionada 16:24

? 16:25
Eu

a:
cara, sério 16:25

?? 16:25
Eu

a:
não se faça 16:25

??? 16:25
q eu coloquei teu blog no meu nick? 16:25
desculpa eu tiro 16:25
Eu

a:
não 16:25
não é isso 16:25

pronto 16:25
Eu

a:
não éé issso! 16:25
é outra coisa 16:26

oq? 16:26
Eu

a:
cara, tu sabe 16:26

hein? 16:26
Eu

a:
essa história é mentira, tu sabe que eu n faria aquilo 16:26
pq tu anda dizendo isso? 16:26

oq? 16:26
Eu

a:
hoje eu quase fui rejeitada pela minha turma 16:27
o colégio in-tei-ro já sabe 16:27
e é tudo mentira! 16:27
MENTIIIRRRAAAAAAAAAAA! 16:27
não sei como tu foi capaz disso 16:27

???????????????????????????????????????????????????????????????? 16:27
do q guria? 16:27
Eu

a:
a história que tu inventou! 16:27

qual? 16:28
Eu

a:
ahh sim 16:28
só o que me faltava 16:28
agora se finge 16:28

dos fumantes? 16:28
Eu

a:
nããããããão 16:28

Sério Ana não sei do que se trata 16:28
Eu

a:
para de se fazer! 16:28
eu tô chorando aquiiiiii 16:28
e tu rindo da minha caaara aí 16:28

é a Ana mesmo ou alguém com o msn dela me sacaneando? 16:28
Eu

a:
soou eeeeeu meu! 16:29

hoje nem é primeir ode abril 16:29
Eu

a:
que? 16:29
PAAARAAA 16:29
paara 16:29
paaara com isso 16:29

me liga 16:29
pq n to entendendo 16:29
Eu

a:
como tu acha que eu to me sentindo?! 16:29

n faço idéia 16:29
Eu

a:
como não?! 16:29

n sei oq ta hacontecendo 16:29
onde vc viu alguma coisa? 16:30
Eu

a:
nvou gastar telefone contigo! 16:30

no meu blog? 16:30
orkut? 16:30
bom deixa q eu te ligo 16:30
tah em casa? 16:30
Eu

a:
não, to no colégio 16:30

tah com o celular? 16:30
Eu

a:
tá sem bateria 16:30

assim fica difícil 16:30
pode me dizer oq tah acontecendo? 16:31

Eu

a:
cara, olha 16:31
tem uma história rolando sobre mim por ai 16:31

q história? 16:31
Eu

a:
e eu to muito triste 16:31

? 16:31
Eu

a:
até a ale acrediitooo 16:31

ba hsério n sei de nada mesmo 16:31
no q tchÊ 16:31
daqui a pouco vou aí no teu colégio desse jeito 16:32
prá saber se pessoalmente tu me conta 16:32
pq n to entendendo nada 16:32
chega aí me acusando n sei do q 16:32
n entendi 16:32
;/ 16:32
vai ficar aí até q horas? 16:32
Eu

a:
to saindo agora 16:32

e va prá casa? 16:33
Eu

a:
olha 16:33
só tenho uma coisa pra te falar 16:33
leia bem direitinho 16:33
ponha os óculos 16:33
colocou? 16:33

eu tô de óculos 16:34
Eu

a:
brincadeirinha. , 16:34
16:34

? 16:35
Eu

a:
brincadeirinha 16:35

n gostei 16:35
Eu

a:
17 de juuuuliiiiiio 16:35
idéia da grazi 16:35
é que eu precisava me divertir 16:36
eu e a ale 16:36
ela tá triste ainda 16:37
e aqui 16:37
hahaha 16:37

fiquei de cara agora 16:37
Eu

a:
16:38
não foi por quyere 16:38

poiseh 16:38
n curti nem um pouco 16:38
já falei com o Bruno sobre isso 16:38
Eu

a:
desculpa 16:38
n vai se repeti 16:39

sério eu devo ter muita cara de palhaço 16:39
Eu

a:
sobre o que?? 16:39

primeiro lugar: 16:39
n sou de inventar "histórias" sobre as pessoas 16:39
segundo lugar: 16:39
principalmente se considero essas pessoas amigas 16:39
terceiro lugar: 16:40
tem muitas outras maneiras de se divertir 16:40
fiquei extremamente chateado 16:40
melhor n conversarmos mais por hoje 16:40
Eu

a:
sério 16:40
não é isso que tu ta pensandoo 16:40
foi só uma brincadeira inocente 16:42

sério gurias 16:43
deixa eu dizer uma coisa prá vocÊs 16:43
eu brinco o tempo todo 16:43
tudo bem 16:43
mas tem certas coisas q eu n tolero 16:43
um delas é fazer alguém de bobo 16:43
pq eu me preocupo demais com o bem estar dos meus amigos 16:43
Eu

a:
aaaahh 16:44
então pq tu tá brabo? 16:44

certo q se tivesse rolando alguma história sobre qualquer um dos meus amigos eu iria investigar e descobrir a fonte 16:44
q certo q n seria eu 16:44
pq eu levei a sério 16:45
Eu

a:
não inventaram nenhuma história 16:45

sim eu entendi 16:45
mas como já me roubaram orkut e msn uma vez 16:45
achei q pudesse ter aocntecido isso denovo 16:45
entendeu? 16:45
aí seria alguém se passando por mim 16:45
Eu

a:
entendi 16:47
ahhhh, tu tá pegando a gente agora né, malandrinho 16:48
hahaha 16:48

n 16:48
abraço. 16:48

não 16:49
espera 16:49
não foi nossa intenção te machucar 16:49

blz 16:50
Eu

a:
sério 16:50
foi só uma brincadeira 16:50

só que esse tipo de brincadeira sério mesmo n funciona comigo 16:50
certas coisas eu trato com muita seriedade 16:51
Eu

a:
ah nossa 16:51
foi só uma brincadeira infantil 16:51
nossa 16:51

tô saindo 16:51
abraço. 16:51
Eu

07 julho, 2009

02 julho, 2009

Crítica aos fumantes

Crítica aos fumantes

Um dos grupos mais difíceis de lidar (na minha humilde opinião) é o dos “Fumantes Ativos Cheios de Razão”, que em sua grande maioria (e eu escrevo por experiência própria ao longo de muitos anos convivendo com pessoas desse grupo), que além de estarem gastando dinheiro com uma droga lícita que traz tantos malefícios, já começam a poluição do ambiente ao abrirem as embalagens de seus cigarros e as jogarem no chão das ruas da cidade, terminando com as bitucas (filtros) também lançadas sem a mínima preocupação em qualquer lugar onde acabam suas tragadas malcheirosas.

A minha principal “revolta” (porque por dentro fico muito revoltado) é quando em qualquer que seja o ambiente fechado sem o consentimento das demais pessoas que possam passar ou freqüentar tais locais, acendem, transportam e/ou fumam ali.

E o pior é quando tentamos argumentar que isso incomoda os não-fumantes e eles nos respondem “cheios de razão” que fumam onde querem e não temos nada a ver com isso. Bom, espera aí, onde fica o respeito com os demais? É simplesmente lamentável esse tipo de atitude, da qual tenho dois exemplos recentes para citar.

O primeiro há poucos dias voltando de Porto Alegre de ônibus (aqueles novos sem janela) da empresa Unesul, onde num primeiro momento estranhamente senti o cheiro de fósforo recém aceso (odor muito característico). E como eu estava sentado num banco localizado mais perto do motorista (frente do ônibus) deduzi que o “aroma” procedia de trás. Instantes depois comecei a sentir o fedor insuportável de cigarro e pensei: “ Poxa vida! Será mesmo que tem alguém fumando num ônibus sem janelas?”. A resposta veio quando fui investigar indo até perto do banheiro localizado na parte de trás do ônibus e constatei pela pequena fresta da porta do mesmo, uma pessoa lá dentro. Esperei a pessoa sair e vi que era uma mulher e que na pia havia a “prova do crime”, cinzas de cigarro molhadas. A porca ainda apagou o cigarro na pia! Expliquei a ela que não se deve fumar no ônibus e que os outros passageiros não eram obrigados a sentir seu fedor. A mulher que ao sair do banheiro ao me ver tinha brincado comigo dizendo que não estava conseguindo sair, mudou completamente de expressão facial e tom de voz praticamente me agredindo verbalmente dizendo que tinha fumado sim e ninguém tinha nada a ver com isso. Como a indignação dos passageiros era geral tomei partido e reclamei ao cobrador do ônibus e ao motorista que foram checar os fatos. Quando cheguei em Passo Fundo liguei e reclamei para a empresa. Não sei exatamente que tipos de atitude podem tomar além de possivelmente ampliar o tamanho dos cartazes que explicam que não se deve fumar nos ônibus para que essas pessoas não tenham a desculpa de dizer que não enxergaram.

O segundo exemplo aconteceu hoje quando passei no corredor do meu prédio e senti o cheiro horrível de cigarro. Encostei o tapete para ventilar e sair o fedor do hall de entrada e a vizinha que foi quem poluiu o ambiente teve a audácia de me xingar quando eu já estava no portão do edifício após responder a pergunta dela de porque eu havia deixado a porta aberta(no prédio temos o portão da frente ao ar livre e essa porta que dá acesso a parte interna do edifício). Voltei até onde ela estava e quando cheguei perto pedi que, por favor, repetisse o que tinha dito, coisa que não teve coragem de fazer (estava errada e possivelmente a intimidei ao me aproximar). Discutimos um pouco e deixei bem claro que corredor e hall de entrada do prédio não são lugares para fedor de cigarro, que os vizinhos não são obrigados a compartilhar do seu fedor.

Por essas e outras razões que reafirmo o que escrevi no início do texto.

Julio Chagas Pitthan (não-fumante com muito orgulho)